Hiato - Idianara Lira Navarro



Desde outubro de 2013 que eu não postava no blog. Neste período muitas situações e acontecimentos se desenrolaram impulsionando o relógio dos meus dias a transcorrer de forma acelerada. Algumas pessoas me questionaram porque eu havia “abandonado” o blog e queria esclarecer que infelizmente passei por uma espécie de hiato literário, onde questões pessoais me consumiram completamente. É interessante observar como o tempo passa, igual areia que escorre desordenadamente entre os dedos impulsionada por uma brisa de verão.

A impressão que tenho é de ter envelhecido muitas eras durante estes meses aqui ausente. Minha alma esteve perdida entre um labirinto de palavras que não foram ditas, escritas e lidas. Ansiei em compartilhar vários textos e divagar sobre alguns livros, filmes e vídeos, mas a ampulheta do tempo sempre escoava antes que eu concluísse tais tarefas.

Apesar disso tudo, em alguns momentos parei para refletir e avaliar minha vida e foi através de algumas divagações que conclui o quanto somos solitários. Sim, todos nós apesar de possuirmos parentes, amigos e amores (que em vários momentos nos acompanham pelos caminhos da vida), nascemos e morreremos sozinhos, eis uma constante na vida de todos.

Entretanto tal perspectiva não me entristeceu. Acredito que devemos aproveitar ao máximo os momentos em que estamos com aqueles que nos trazem alegrias e felicidades, pois são nossas memórias que nos confortam e nos preenchem quando estamos solitários, por este motivo, devemos buscar afastar as lembranças tristes e ruins para que não nos tornemos seres humanos amargurados e rancorosos. Todos somos de uma forma ou de outra, nostálgicos, eu mesma sempre o fui de uma maneira muito profunda e é este sentimento que me moldou transformando-me no que sou e no que ainda serei.

Por falar em tempo (ou falta dele), assistam abaixo a belíssima animação “O Farol” (The Lighthouse), do diretor taiwanês Po Chou Chi, retrata a passagem do tempo e o relacionamento entre pai e filho de forma singela (não existe narrador ou diálogos) porém muito emocionante. Esta animação foi vencedora de 27 prêmios internacionais e esteve presente em 50 festivais de cinema. Vale a pena assistir!
*Pintura de Daniel Gerhartz

video
“O Farol”(The Lighthouse)

4 comentários

  1. Manífica crônica Idianara. Eu estava nessa situação, aliás, continuo. Às vezes brota-me alguns versos, pensamentos, porém, a correria do dia a dia, consome o tempo restante. Foi quando dei-me conta disso também - a solidão -, mas como um motivo para avaliar o que realmente vale se preocupar nesse curta temporada que passamos pela Terra. Parabéns! Utilizarei esse pensamento "É interessante observar como o tempo passa, igual areia que escorre desordenadamente entre os dedos i!mpulsionada por uma brisa de verão." em um livro que estou pensando em escrever! Beijo

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Sidney! Muito obrigada por suas palavras e atenção. Abraços!!!!

    ResponderExcluir
  3. Que bom que a inspiração voltou. E que ela não seja Hiato, mas um encontro de mesmas sílabas

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Romulo! Obrigada pela atenção! Espero que minha inspiração não fuja mais. Abraços!!!

    ResponderExcluir