Jardim Fechado de Raquel Naveira

Raquel Naveira comemora 30 anos de carreira com antologia poética
Poesias para homenagear o Mato Grosso do Sul 

A poeta Raquel Naveira, aos 58 anos, comemora o lançamento da coleção dos melhores poemas de seus 30 anos de carreira, intitulada “Jardim Fechado – Uma antologia poética”. Dividido em 15 capítulos, a obra mostra um Brasil que vai além do eixo Rio - São Paulo, ela fala do Mato Grosso do Sul com versos consistentes.

Naveira conta que o livro reúne vinte poemas significativos, selecionados de cada um dos seus quinze livros de poemas publicados de 1989 até hoje. “ Essa antologia tem um clamor de voz da terra e da alma sul-mato-grossenses. Uma alma da fronteira que foi derramada em versos”.

  - Jardim Fechado é o nome de um poema que encabeça um conjunto de poemas que haviam permanecido inéditos até a publicação desse livro.  Faz referência a bíblica passagem do “Cânticos dos Cânticos”, falando de um jardim que representa a visão do paraíso, com símbolos eróticos sombras verdes e frutos saborosos – relata.

Sobre os 30 anos de carreira, a poetisa relata que terem sido transformados em um livro é algo único, maravilhoso e indescritível. Ela relata ter percorrido um longo caminho até chegar nesse momento e que o seguiu sempre olhando em frente. A poeta explica também que não vê o material como um ponto final no trabalho. “Eu quero continuar publicando mais e mais poesias”, reforça.

A obra é editada pela Vidráguas e tem o apoio da Secretária de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei). O livro em cada capítulo tem uma pequena introdução, informando ainda sobre a quais prêmios a obra foi indicada.

Segundo Carlos Nejar, famoso escritor que escreveu o prefácio, a poesia de Naveira é de centelhas que se somam aos fatos, com imagens que rodam no meio de relâmpagos. Para Nejar, a obra traça um grande perfil da autora e de sua trajetória de 30 anos de criação, missivismo, viagens e dedicação ao magistério e à literatura.

Sobre Raquel Naveira:

Nasceu em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, no dia 23 de setembro de 1957. Formou-se em Direito e em Letras pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB/MS), onde exerceu o magistério superior, desde 1987 até 2006, quando se aposentou e mudou para São Paulo, onde permaneceu por dez anos. Doutora em Língua e Literatura Francesas pela Universidade de Nancy, França. Mestre em Comunicação e Letras pela Universidade Presbiteriana Mackenzie/SP. Apresentadora do programa literário “Prosa e Verso” pela TV UCDB (2000-2006) e do “Flores e Livros” pela UP TV e pela ORKUT TV. Pertence à Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, à Academia Cristã de Letras de São Paulo e ao PEN CLUBE DO BRASIL.

É palestrante, dá cursos de Pós-Graduação e oficinas literárias. Escreveu vários livros, entre eles: ABADIA (poemas, editora Imago,1996) e Casa de Tecla (poemas, editora Escrituras, 1999), finalistas do Prêmio Jabuti de Poesia, da CBL.

Os mais recentes são os livros de ensaios “Literatura e Drogas - E Outros Ensaios” (Rio de Janeiro: Nova Razão Cultural, 2007); o de crônicas, “Caminhos de Bicicleta” (São Paulo: Miró, 2010); o de poemas, “Sangue Português: Raízes, Formação E Lusofonia” (São Paulo: Arte&Ciência, 2012); e o de ensaios “Quarto de Artista” (Rio de Janeiro: Íbis Libris, 2013). No gênero infantil escreveu “Guto e Os Bichinhos” 1 e 2 (Campo Grande/MS:Alvorada, 2012) e “Dora, A Menina Escritora” (Campo Grande/MS:Alvorada, 2014). 

Segue abaixo um dos poemas do livro para apreciação:

Fiandeira

Sou uma fiandeira

Tecendo noite e dia

Uma esteira de pensamentos.



Sou uma fiandeira,

Aranha tirando de dentro
A liga que emaranha.

Sou uma fiandeira          
Amarrando com mãos firmes
Os laços do meu destino.

Sou uma fiandeira
Bordando com palha e ouro
A bandeira de minha fé.

Sou uma fiandeira,
Vivo à beira
De tudo aquilo que é frágil,
Que parece fiapo
Ou que está por um fio.

Contato para adquirir o livro “Jardim Fechado – Uma antologia poética”:
raquelnaveira@gmail.com
   

Nenhum comentário