Estante Virtual é comprada pela Livraria Cultura

A Livraria Cultura diz que insere mais esta aquisição nas suas metas de expansão do e-commerce, projetando um aumento de mais 60% das transações online nos próximos 2 anos. 


Livraria Cultura anuncia compra do site Estante Virtual

Rede, que vai assumir operação da Fnac no País, tenta acelerar expansão para enfrentar concorrência da Amazon
 (Fonte: O Estado de S.Paulo,Renata Agostini

  26 Dezembro 2017) 

Como parte do plano de intensificar suas vendas pela internet, a Livraria Cultura fechou a compra da plataforma online Estante Virtual, que conecta compradores e vendedores de livros novos e usados na América Latina. O valor da operação, que foi anunciada ontem, não foi revelado pelas duas empresas. 

Controlada pela família Herz, a Livraria Cultura tem como meta aumentar em 60% as transações online nos próximos dois anos, afirmou a companhia, por meio de nota. 

Fundada em 2005, a Estante Virtual é uma operação de nicho. Possui 4 milhões de clientes cadastrados e 17,5 milhões de livros vendidos até hoje.

A plataforma foi criada pelo empresário carioca André Garcia e se tornou conhecida por possibilitar o contato entre donos de sebos, livreiros e leitores de diversas regiões do País. 

Trata-se da segunda aquisição feita pela Livraria Cultura neste ano. Em julho, a rede acertou a compra da operação da varejista francesa Fnac no Brasil – a companhia deixará, assim, de ter negócios no País.  

Com a aquisição, a Livraria Cultura, fundada há 70 anos, entrou no segmento de venda de produtos eletrônicos, um mercado antes inexplorado por ela, e passou a ter 29 lojas no País. 

Crise. A rede tenta acelerar sua expansão enquanto lida com problemas financeiros e o aumento da concorrência da rival Amazon, que está ampliando suas operações no Brasil. Após cinco anos no País, a gigante americana do comércio online decidiu disputar a venda de produtos eletrônicos no mercado brasileiro. 

A Livraria Cultura tem de lidar com uma dura equação: sair do prejuízo enquanto enfrenta queda nas receitas. Depois de atingir R$ 440 milhões em 2014, a empresa viu sua receita cair 17% nos últimos dois anos, atingindo R$ 380 milhões em 2016. 

Com isso, foram feitos cortes no setor administrativo – 800 funcionários foram demitidos no período.
Ao longo de 2017, as dificuldades financeiras a levaram a atrasar, inclusive, a repasses de pagamento a editoras. A companhia disse, à época, que havia somente renegociações de prazos com editoras e não atrasos nos pagamentos devidos.


A seguir, vejam na íntegra o comunicado de imprensa divulgado pela Livraria Cultura e publicado na íntegra pelo site Publishnews em 26/12/2017:

É com satisfação que a Livraria Cultura anuncia a compra da plataforma online Estante Virtual, líder em marketplace de livros na América Latina. A aquisição desta empresa de e-commerce, com 4 milhões de clientes cadastrados e 17,5 milhões de livros vendidos, vem ao encontro do atual movimento de expansão da Livraria Cultura, iniciado com a aquisição da Fnac no Brasil, em julho de 2017.

Criada em 2005 pelo empresário carioca André Garcia, a Estante Virtual inovou ao se apresentar no mercado como um portal de venda de livros novos, seminovos e usados – incluídos os raros e esgotados -, conectando de forma inédita sebos, livreiros e leitores de todas as regiões do País.
Do ponto de vista de conceito do negócio, a plataforma transformou-se num importante instrumento de bibliodiversidade ao fazer chegar livros de todos os gêneros aos destinos mais remotos do país. Do ponto de vista de eficiência do negócio, conseguiu estabelecer uma política de preços atraente, em transações reconhecidamente seguras.

"As práticas da Estante convergem com os valores da Cultura, uma empresa que começou sua história justamente alugando livros novos e usados, como quis minha avó, Eva Herz. Hoje, mais do que nunca, acreditamos na importância de propagar a cultura do reuso no país. E, através dela, contribuir ainda mais com a democratização do conhecimento, algo que já fazemos não só nos canais de venda, mas também com eventos, publicações, teatros, projetos culturais", explica Sergio Herz, CEO da Livraria Cultura e da Fnac Brasil. “Ao mesmo tempo, a Estante é uma empresa com foco em tecnologia e inovação, também dois dos pilares mais importantes da Cultura, tanto em seus sites quanto em suas lojas”.

Conforme André Garcia, fundador da Estante Virtual, a união entre as duas empresas traz uma série de possibilidades novas: "A Cultura é uma empresa que compartilha de todos os ideais nos quais a Estante foi fundada, entre eles, a bibliodiversidade e o mais profundo respeito com seus parceiros comerciais. Tenho total tranquilidade de que serão os melhores sucessores que poderiam existir para o legado que construí, nesses 12 anos à frente da Estante Virtual."

Ao comemorar 70 anos, a Livraria Cultura insere mais esta aquisição nas suas metas de expansão do e-commerce, projetando um aumento de mais 60% das transações online nos próximos 2 anos. E, mesmo abrindo o seu portfólio para produtos eletrônicos e tecnológicos, com a incorporação da rede Fnac, reforça o compromisso com o produto que está na origem da sua história: o livro. “A partir de agora, Livraria Cultura e Estante Virtual seguirão juntas”, resume Sergio Herz.

(Comunicado de Imprensa da Livraria Cultura em 26/12/2017)

Nenhum comentário