Resenha: Querido John - Nicholas Sparks



O que dizer deste livro? Não sei, tô chocada! Ele me impressionou de uma tal forma, chorei em muitas partes! Tá vocês podem me chamar de chorona, mas fazer o que é triste e eu sou sentimental. Como todos sabem, é uma historia de amor que cativa desde o início até o fim (tudo bem que o fim não era o que eu esperava), amei tudo desde a descrição do local, até a hora da guerra. Tudo é perfeito, Tio Nick arrasa sempre! Seus livros são muitos bem escritos nos fazendo sentir a emoção dos personagens.



Título Original: DEAR JOHN
Autor: Nicholas Sparks
Ano: 2015 Lançamento Arqueiro
Gênero: Romance, Romance Contemporâneo 
Editora: Arqueiro

Após uma juventude de rebeldia e bebedeira, John Tyree decidiu dar início a um novo capítulo em sua vida e se alistou no Exército. Um ano depois, agora um novo homem, ele retorna a Carolina do Norte para passar um tempo com o pai. Uma tarde, ele conhece a garota de seus sonhos. Além de ser linda, Savannah é amigável, de sorriso fácil, um exemplo de boa conduta e altruísmo. Um sentimento arrebatador nasce entre os dois.
No entanto, John precisa voltar para a Alemanha a fim de concluir o serviço militar. Savannah decide esperar por ele, enquanto o jovem soldado promete que, após esse período, vai ficar para sempre ao lado da mulher que conquistou seu coração. O que nenhum dos dois poderia esperar eram os eventos do 11 de Setembro. Enquanto John entra em combate no Iraque, Savannah precisa reunir forças para superar a dor da distância. Nesse cenário de saudade e incertezas, uma simples carta pode mudar a vida dos dois para sempre.

Para aqueles que gostam de se surpreender este é o livro, eu como uma leitora compulsiva, achei a história maravilhosa e nos leva para uma viagem no universo de John e Savannah, um mundo de amor inexplicável, que tem seus altos e baixos como o de várias pessoas por ai.

John um rapaz que já foi rebelde na vida e sofria com a distancia do pai. Savannah, uma menina que já foi machucada pelo amor. Duas pessoas diferentes, mas com uma única certeza: eles se amam muito, só que a vida ou o destino não é nada fácil os dois.


Quando estávamos juntos, tínhamos o poder de mantê-lo girando e o resultado era beleza, magia e um sentimento quase infantil de espanto; quando estávamos separados, o movimento inevitavelmente começava a desacelerar. Nós nos tornávamos vacilantes e instáveis, e sabia que tinha de encontrar um modo de nos impedir de tombar.

John se alista no exército depois da sua fase rebelde, e vem para casa duas semanas por ano, o que ele não esperava, era que na terceira licença iria conhecer Savannah, eles se apaixonam e fazem promessas, o amor deles é simplesmente lindo, John volta para Alemanha e assim eles começam a se comunicar por cartas, que no início eram lindas e apaixonadas, depois de muito tempo contando os dias pra John sair do exercito, bummm 11 de Setembro, Jonh se vê obrigado a servir de novo por patriotismo, isso deixa Savannah triste e assim as cartas e os telefonemas diminuem.

John é mandado para o Iraque onde tudo é difícil,mortes,destruição ele não vê a hora de tudo acabar pra encontrar Savannah, só que as cartas de Savannah diminuem e assim, chega a mais esperada carta.

Gente parei se não vou contar o fim, o final me deixou perplexa amei só queria que....., deixa pra lá, eu recomendo muito este livro é ótimo, John te deixa fascinada e Nicholas soube expressar todos os sentimentos no livro.


Nicholas Sparks nasceu em 1965 em Omaha, Nebraska. Cresceu em Fair Oaks na Califórnia e vive actualmente na Carolina do Norte com a família. Foi durante algum tempo delegado de informação médica até que Theresa Park, agente literária, decidiu começar a representá-lo, vendendo os direitos do seu primeiro romance O Diário de uma Paixão (The Notebook) à Warner Books. O sucesso foi imediato e a obra permaneceu durante 56 semanas consecutivas nos tops americanos. Seguiram-se livros como As Palavras que Nunca te Direi (Message in a Bottle) e Um amor para recordar (A Walk to Remember), Corações em Silêncio (The Rescue) também eles sucessos editoriais de grandes proporções, tendo o primeiro sido adaptado para versão cinematográfica pelo próprio autor. 

Nenhum comentário