Resenha: Sob a Luz da Escuridão de Ana Beatriz Brandão

"Não nos programamos para a morte. Ela é previsível, embora sua chegada seja imprevisível. Engraçado como uma ou duas letras podem mudar completamente o significado de algo." (trecho do livro) 

Oi gente! 

Estava muito ansiosa para publicar esta resenha! Conforme comentei com vocês em dezembro, eu participei da leitura coletiva deste surpreendente livro que é Sob a Luz da Escuridão da graciosa autora Ana Beatriz Brandão e confesso que para mim foi uma loucura (no bom e maravilhoso sentido da palavra 😍), pois ela coincidiu com minha viagem de férias/lua de mel atrasada e algumas vezes nos dias de debate de certas páginas, eu estava um pouco atrasada na leitura e ficava desviando dos spoilers. 😂😂 

Sobre a obra: O mundo não está a salvo dos humanos... Guerras e destruição, causadas pela ganância de um homem, quase levaram a raça humana à extinção. Com a radiação das bombas nucleares, o DNA humano sofreu mutações e uma nova espécie surgiu: os metacromos, seres especiais, com poderes extraordinários. Em meio ao caos de um mundo pós-apocalíptico, Lollipop e Jazz são resgatadas do instituto onde eram mantidas prisioneiras. Com as memórias apagadas, elas não sabem por que estavam ali nem quem as libertou. E, enquanto buscam respostas sobre suas origens, só lhes resta lutar pela sobrevivência. Evan, um vampiro milenar, lidera com mãos de ferro uma das mais poderosas áreas do planeta. Mas quando, por obra do destino, ele reencontra a mulher que pensou estar morta há décadas, tudo desmorona e ele é obrigado a enfrentar o passado. Ana Beatriz Brandão apresenta um mundo totalmente novo ao leitor em Sob a luz da escuridão. A raça humana não é mais a mesma, novas espécies foram criadas e agora é cada um por si. Uma história eletrizante, cheia de ação, tensão e romance, que vai provocar fortes emoções no leitor. Prepare-se e escolha seu lado nessa guerra: você é um metacromo ou um Deles? 

Sobre a autora: 

Viver em um mundo cercado de magia – esse sempre foi o sonho de Ana Beatriz Brandão a escritora que com apenas 18 anos, já vendeu mais de 20.000 exemplares e conta com mais de 15 mil seguidores em seu Instagram. Ela descobriu que era possível tornar isso realidade através da leitura quando conheceu O Pequeno Príncipe, aos cinco anos de idade. Targaryen, potterhead, narniana, semideusa e tributo, Ana vive muitas aventuras todos os dias. Aos treze anos, descobriu que contar histórias era sua paixão e desde então escreveu diversos livros, entre eles O Garoto do Cachecol Vermelho, Sombra de um Anjo, Caçadores de almas e Sob a Luz da Escuridão. Seu maior sonho é poder continuar contando suas histórias para todos aqueles que, como ela, acreditam que os livros são a melhor forma de tocar o coração das pessoas e mudar suas vidas. 


Minha Opinião: 

Confesso que fui surpreendida. Sob a Luz da Escuridão é a prova de que não devemos julgar um livro pela capa e muito menos por sua sinopse. Em meu caso não foi uma surpresa ruim, de forma alguma! 😃Mas, quando li a sinopse e o prólogo do livro, esperava algo com mais suspense, ação e uma pegada de momentos trágicos com bastante ficção cientifica estilo o livro A Passagem do autor Justin Cronin, porém, não é isso que Ana Beatriz nos entrega, mas apesar disso, ela me arrebatou. 

" Assim foi criado o mundo em que vivíamos: as pessoas matavam por nada e brigavam por tudo. O planeta tinha sido tomado pelo caos. O que tínhamos a perder? Ninguém poderia nos castigar, e sentir medo da morte era para os fracos. Aliás...o medo era um sentimento quase inaceitável. Quem tivesse não sobreviveria uma semana sequer naquele lugar." (trecho do livro)

O livro possui quatro personagens principais: Lollipop e Jazz (as amigas são metacromos e possuem o poder da telecinese e do fogo, respectivamente), Evan, um vampiro milenar que é o líder do clã mais promissor existente neste mundo pós apocalíptico e Sam, um metacromo que também possui o poder do fogo e foi criado por Evan. 


A narrativa é totalmente descomplicada, atraente e feita com uma linguagem coloquial através do olhar das personagens, principalmente Lollipop, que é a dominante em todo o enredo. A estória gira em torno dela, seu passado e presente, bem como seus sentimentos, medos e anseios. Achei esta forma de narração muito positiva, pois, faz com que o leitor se afeiçoe aos personagens e os compreenda melhor. 

Apesar de Sob a Luz da Escuridão não ser o tipo de livro que eu esperava (talvez minha expectativa tenha sido construída de forma errada), fui fisgada pela  forma que o romance entre as personagens de Lollipop e Evan (entre o amor e o ódio) é contado: uma atração arrebatadora, permeada pelo passado obscuro de ambos e que me fez ficar muito curiosa para desvendar todos seus mistérios. Sem falar que a personalidade de Evan, em vários momentos me fez recordar o famoso e sexy vampiro Damon, da famosa série televisa Diários do Vampiro (que eu gosto bastante 😁). 

- Eu realmente não sei o que aconteceu entre a gente, mas sei que foi forte o suficiente para restar um pouquinho do sentimento que havia. E esse pouquinho, quando eu estou com ele, é equivalente a uma bomba atômica... (trecho do livro)



Outro aspecto que adorei é a construção da amizade entre as quatro personagens principais, mesmo existindo os romances (sim no plural em gente! 😉😁), a amizade é algo tao crível e sincera, que faz com que a existência naquele mundo destruído, seja menos terrível, com vários momentos de união e leveza de espírito onde todos brincam, festejam e buscam de alguma forma se divertir, mas sem deixar as responsabilidades de lado.



Entretanto, ao terminar a leitura, fiquei com um "gostinho de quero mais" sobre o universo da fantasia e da distopia criado pela autora e com vários questionamentos martelando na minha cabeça, mas que não vou compartilhar aqui para não dar spoiler. 😁Porém, acredito que isso ela fará na continuação do livro. Agora só me resta esperar ansiosamente pela sequência de Sob a Luz da Escuridão.  
Os covardes morrem várias vezes antes da morte, mas o corajoso experimenta a morte apenas uma vez - murmurou, e notei que estava falando consigo mesmo - Foi o que disse um homem sábio uma vez, séculos atrás. Talvez a vida se resuma a isso. Em quantas vezes nós vamos morrer antes de o fim chegar e na coragem que vamos ter pra enfrentar o mundo. (trecho do livro)

2 recadinhos

  1. Amei sua resenha ... foi bem esplicativa ..cada detalhe exposto, mas sempre deixando um gostinho de quero mais ....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Núbia! Fico doida para dar mais detalhes, mas não quero dar spoilers, pois, prefiro deixar o leitor curioso para ler o livro. Que bom que consegui. :) Um grande beijo!

      Excluir