Poema: Fênix - Idianara Lira


Dói-lhe a alma
Exausto está o coração
Mas é preciso ter calma
E modificar tudo através da razão

O corpo decadente
Por mudanças anseia
É quase um murmúrio na mente
Que apesar do medo, a ideia semeia

Pavor do passado, abandonar
Do presente, alterar
E no futuro não se encontrar

Mas entre o caos e o sofrimento, ela renascerá...

0 recadinhos