Poema: A Poesia está...

A poesia está numa garoa,
No vento sussurrando ao ouvido –
E acariciando a pele então...
A poesia está no sol que nasce;
No ângelus que cai por entre as nuvens,
Na chuva de verão – que logo passa –
Na flor que desabrocha perfumada...
No choro do recém-nascido, sim.
Na lágrima que escorre pela face
E no sorriso ameno e singelo...
Numa amizade nova que acontece
Na música das águas e na oração...


A poesia está no brilho d’olhos;
E no canto das aves de manhã;
Na chuva caindo no telhado;
Naquela inocência das crianças, 
Nos casos recontados pelos velhos,
Nas cartas de amor adolescente,
Nas ondas desfazendo-se na areia
No outono e aquelas folhas tão douradas,
Na noite estrela e lua cheia...

A poesia está no aconchego,
Nos beijos já guardados na lembrança,
Nas noites de natal e de ano-novo,
E também na tristeza vinda então...
Numa saudade quando logo invade,
Na perda que nos traz reflexão...
Na fruta degustada ao sol a pino,
Na sombra de uma árvore frondosa;
No encontro de um amigo – outrora longe –,
Naqueles “Parabéns” dados a você...

A poesia está no horizonte,
Na água refrescante à boca seca,
No beija-flor desvirginando as flores,
Junto das borboletas majestosas,
E nas abelhas fabricando o mel..
Nas conchas e os búzios pela praia,
E nos cristais de orvalho da manhã;

A poesia está bem ao seu lado,
E nos neologismos das crianças,
No linguajar dos simples – dos humildes,
No esdruxulismo todo dos doutores,
Nos códigos, fonéticas e fonemas,
No amor, na esperança e na união...
E no filosofar da vida então...

A poesia está – não se esconde
Na mente do poeta a captá-la;
E numa e noutra letra, ela responde
Nascendo em prosa, em verso, em fala...
25/06/08



0 recadinhos