Poema: A outra parte - Gonçalves Reis


Você apareceu assim
nascendo em meu ser
quando me vi, não mais era
eu mesmo
pois respirava e aspirava você...

Fiquei desnorteado
Fechei meus olhos
Eu não
queria ver -
e ao mesmo tempo ansiava-a -,
também não aceitar...

Fingi não estar acontecendo nada,
Mas sua imagem - como um fotografia -,
não saía de minha mente...

A pulsação mudava a cada instante
A angústia penetrava pela pele
Meu coração´perdia-se em si mesmo
e encontrava-se nos seu sorriso
doce
nos seus olhos onde brilhava
àquela chama ardente
do amor - da alegria.

Então o meu castelo -
que eu pensava forte -,
ruiú-se pouco-a-pouco
e rei ficou ali tão vulnerável...
Armou-se da melhor forma

Pegou as suas armas
mas,
como enfrentrá-lo?!
como vencer o vento?!
como impedir a chuva?!
Como parar a brisa?!

Esse "Inimigo" bom e abstrato
Venceu-me -
Estou perdido

Mas nessa perdição eu me encontro
trilhar esse caminho novamente
nesse caminho só sinto-me bem
pois sei que você - sem nem saber
partilha ele comigo...

Mudou, mudou-se tudo de repente
O sol é mais brilhante
As flores têm mais cores
A vida se extravasa
numa eterna primavera...

O inverno vem mais quente
e ameno
e elegante,
e tão atencioso,
cortês
e
educado
e a lareira
aquece o coração...

Mas minha alma treme
não de frio,
Mas de alegria,
angústia
e solidão.

E ao rever seus olhos -
seu sorriso -,
que graça; e para a vida
uma iluminação...

E nesse labirinto
a esperança está trilhando junto
dando alento
A dúvida também - do outro lado.

Não quero me perder
mas já estou perdido
em você...
08/11/03

0 recadinhos