Poema: Maldosa - Gonçalves Reis


Ela mordia e ele cabisbaixo,
Ficava ali sem nada a lhe dizer,
Tentava ignorá-la para ver,
Que ele não seria mais capacho...

Porém ela mordia mais abaixo,
Beijava-o também para sorver,
Sua fraqueza em forma de prazer,
Mordia-o para acender-lhe o facho... 

Na luta do instinto e do desejo,
Já não lembrava mais depois de um beijo –
Que, então, o entesou – foi-lhe a desgraça.

Ela sorria ao vê-lo assim vencido,
Enquanto ele chorava arrependido,
Ela engolia as lágrimas com graça...
24 de março de 2012, 06:15

0 recadinhos