Resenha: O Silêncio dos Livros - Fausto Luciano Panicacci

 
"Há várias camadas de leitura, e um livro pode convocar-nos à reflexão, confrontar-nos, deleitar-nos." (pg. 26)
Eis um livro que realmente me causou muitas reflexões e resultou em uma longa resenha. Toda leitura é capaz de fazer com que mergulhemos em outros universos e em inúmeros sentimentos, porém, O Silêncio dos Livros do autor Fausto Luciano Panicacci, é uma obra genuína, impactante e que homenageia a essência e o poder transformador dos livros.


Sobre a obra: 

Numa época em que os livros são proibidos, o misterioso Santiago Pena acaba de chegar a Portugal, onde conhecerá Alice, menina desprezada pelos pais. O encontro de um antigo caderno trará questões intrigantes. Que relação haveria entre um jovem acusado de crime que alega não ter cometido, suntuosos projetos arquitetônicos e a descoberta de uma biblioteca abandonada? Por qual razão alguém usaria o lema festina lente ( "apressa-te lentamente")? E por que o estrangeiro Santiago parece despertar nos familiares de Alice perigosos anseios?
O Silêncio dos livros é uma declaração de amor à Literatura. Romance para ser saboreado não só pelo enredo recheado de tensões e suspense, mas também pelos detalhes de construção, insere-se na melhor tradição da cultura ocidental, com sutis menções a livros, poemas e vinhos, a mitos clássicos e folclore, a obras de arte e teorias científicas, além de enveredar por grandes discussões da contemporaneidade, como privacidade, identidade, genética, direito ao esquecimento. Manejando uma linguagem precisa e poética, o autor cria metáforas surpreendentes, explora recursos estilísticos e sabe convidar o leitor a desvendar sentidos apenas sugeridos.

Ponto de vista:
A obra reflete um trabalho de profunda dedicação e qualidade de conteúdo. É notável através das inúmeras referências literárias e da linguagem em vários momentos rebuscada (mas sem ser enfadonha), a erudição que acompanha o autor e a qual, ele fez transbordar em sua obra.
"... para ela , tudo havia de desaguar da Arte, pois tudo o que morre e renasce na Arte, vive para sempre." (pg. 255)
O acabamento gráfico também é belíssimo: imagem de capa, diagramação, fontes, tipo e cor do papel, tudo muito bem elaborado e de encher os olhos.

Outro ponto que impressiona bastante, e são extremamente bem construídos, são os prefácios. Um foi escrito por Beatriz Virgínia Camarinha Castilho Pinto (Mestre em Linguística) e o outro por Maria José Gargantini Moreira da Silva (Especialista em Língua Portuguesa e em Produção Textual) e além de persuadirem a leitura da obra, não tecem comentários presunçosos e inverídicos acerca desta. Para mim, eles foram responsáveis em atrair o leitor definitivamente, para o universo do livro e suas personagens.



O Silêncio dos Livros é divido em 3 partes. A primeira é intitulada "Pelos olhos de Alice", personagem infantil pela qual me apaixonei e que mora em Portugal. Alice é no minimo encantadora e possui um amor autêntico aos livros, sentimento este que lhe foi introduzido (antes mesmo que ela aprendesse a ler) pela avó e por um tio materno, ambos já não fazem mais parte da vida da menina, mas lhe marcaram para sempre.
"Lembrou-se de quando o recebeu da avó como um grande segredo, dos sustos, dos risos, as letras dando as mãos para formar palavras e o mundo." (pg. 15) 
Os sentimentos e a visão de Alice, sobre o mundo que a cerca é algo muito interessante de se acompanhar. A narrativa desta primeira parte fluiu muito rápido e apesar de apresentar um mundo no qual possuir livros é crime (a lá Fahrenheit 451 de Ray Bradbury) é adorável acompanhar as aventuras de Alice que está na idade de "...o dia seguinte é o quanto basta para superar traumas para todo o sempre." (pg.15) 

A segunda parte é "Por outros olhos" e nela conhecemos a trajetória do personagem Hilário Pena, que vive no Brasil, inicialmente em uma época anterior as proibições e ao uso da ciência para manipulação genética. Ele é um personagem que passa por um grande arco narrativo e personifica, a capacidade mutável de qualquer ser humano para o bem ou para o mau. A terceira parte é " De volta aos olhos de Alice" e assim como o próprio nome diz, remete novamente a visão de mundo da menina. 

Quem aprecia muito o universo literário, certamente irá adorar este livro! Ele nos conduz a uma vasta caminhada pela Literatura e seus grandes autores, através de pistas e dicas deixadas pelo autor, ao longo da narrativa. E finalmente, é uma obra que enaltece o poder que a leitura pode exercer em nossas vidas:
"... essa é a minha leitura. Consegues entender a magia disso? O que EU posso extrair de universal de uma história, e como essa história fala aos meus sentidos, às minhas angustias, aos meus desejos; enfim, de que forma se comunica com MINHA vida?" (pg. 98)
"... os livros: além do que revelam já a superfície, é possível apreciá-los pelo que são, por seu estilo, ou seja, como obras de arte; pode-se também penetrar naquele recônditos, que no fazem refletir sobre nossas vidas, e através das personagens conseguimos observar o mundo com outros olhos, saboreando vidas que não são as nossas e, assim, melhor entender os que nos cercam." (pg.99)

Sobre o autor:
Fausto Luciano Panicacci é Doutor em Ciências Jurídicas pela Universidade do Minho (Portugal). Formado em Direito (Largo São Francisco, USP), estudou Fotografia, História do Cinema e História da Arte. Além de O silêncio dos livros (romance), é autor de Naufrágios (coletânea de contos e poemas), e de obra jurídica. Promotor de Justiça e escritor, foi professor de pós-graduação no GVLaw da FGV/SP. Integra os grupos literários O que restou e Library.


0 recadinhos