Resenha: Floresta dos Medos - Emily Carroll


Ficar assustado e apreensivo enquanto lê um livro (ou neste caso uma HQ)? Sim, é totalmente possível e Floresta dos Medos de Emily Carroll, nos faz mergulhar nestes e outros sentimentos, através de sua obra bela e tenebrosa, que foi lançada em 2019 pela DarkSide Books. 


Sobre a HQ:

Pense naquilo que faz seu sangue correr depressa pelas veias. Uma voz sem corpo? Uma visão fantasmagórica? Ou, quem sabe, a possibilidade de viver algo sobrenatural? Aguarde na penumbra e fale baixo. A DarkSide Books convida você para um passeio pela floresta cheia de rostos pálidos e mãos geladas da premiada ilustradora Emily Carroll. Mas tome cuidado: assim como nos contos de fada, nem tudo que habita seus arredores é aquilo que parece ser. De uma coisa nós temos certeza: as cinco histórias de Floresta dos Medos dão frio na espinha. Nelas, a quadrinista canadense ― ganhadora de um prêmio Eisner, um dos mais importantes do universo dos quadrinhos ― explora o medo subjetivo e imagético, composto de sensações estranhas que raramente conseguimos explicar. O texto de Emily Carroll é poderoso e poético, e suas ilustrações, carregadas de tons sombrios e avermelhados. Seu trabalho elegante evoca o etéreo dos contos dos irmãos Grimm, o extraordinário de Neil Gaiman, o gótico de Edgar Allan Poe e, principalmente, o realismo mágico de Angela Carter. E, assim como os grandes mestres, incita o leitor a enfrentar seus próprios medos e fraquezas. Floresta dos Medos é uma compilação de vislumbres, dúvidas e pesadelos. Tudo em suas páginas grita para ficarmos longe, mas, de algum modo assombrosamente delicioso, ficar longe é impossível. 



Minha opinião: 
Com traços marcantes, fortes e expressivos, Emily Carroll conseguiu me prender desde a capa até a última página de sua HQ. As ilustrações sombrias e escuras são marcantes em toda a obra e remetem a uma ambientação gótica, onde a floresta é o elo que une todas as narrativas e funciona como uma representação do suspense e terror que nos acompanha durante a leitura e permeiam a vida de todas as personagens das cinco histórias.



Através de uma escrita instigante e objetiva, unida as ilustrações inquietantes e obscuras, confesso que senti meu coração descompassado e a respiração ofegante, enquanto percorria as páginas carregadas de mistério e tensão. Era como se o medo que por vezes dominava as personagens, também invadisse todo o meu ser, o que demonstra o poder de Emily Carrol em nos transportar, para o universo tenebroso de seu livro.



Praticamente é impossível não abandonar a realidade e adentrar as casas, florestas, mistérios, assassinatos e assombrações que nos cercam durante a leitura desta formidável HQ e imaginar "qual mau me cerca?" O único ponto negativo do livro, é o fato de que a viagem pelas histórias inquietantes que rondam a floresta dos medos, acaba muito rápido. No fim, fica apenas a sensação de que o mau que existe na floresta, poderá nos encontrar.






Sobre a Autora:

Emily Carroll nasceu em London, Ontario, em junho de 1983. Além de publicar curtas histórias em quadrinhos em seu site, ela colaborou em diversas antologias, incluindo The Witching Hour (Vertigo), Creepy #9 (Dark Horse) e Fairy Tale Comics (First Second). Em 2015, foi a ganhadora do prêmio Eisner na categoria Melhor História Curta. Atualmente ela vive com sua esposa, Kate, e seu enorme gato laranja em Stratford, Ontario.




0 recadinhos

Agradeço seu contato. Responderei assim que possível. Atenciosamente, Idianara Lira.