O caminho do sertão - Marcelo Gaspar


Quando o poeta abre os olhos,
escorre sobre a terra
a possibilidade de portas e janelas raiarem o dia,
um marulhar de ondas de infinitude,
de memória.

ele arfa monólogos,
como uma máquina que rompe da garganta
densas inquietações,
como os sinos anunciando a missa de sétimo dia.

ele calça os chinelos de couro cru
enquanto cumprimenta o vale do Pajeú,
levando a mão sobre o chapéu de feltro ordinário, 
bêbado de calor sertanejo.

um calor cáustico
que lhe belisca a pele marcada.

ele segue uma trilha turva
que lhe rouba o lirismo das palavras,
uma aflição quase religiosa.

caminha tal qual vaca a tilintar tristemente
o seu chocalho
vê o sorriso das nuvens faceiras
um céu escaldante e
padim Ciço num risinho a amolar-lhe
a esperança enferrujada.




Sobre o autor: 
Marcelo Gaspar é baiano, radicado em São Paulo, hoje reside em Pernambuco. É graduado em Análise e Desenv. Sistemas, pela Fatec SP. Autor do livro de poemas “A noite continua num gole de cerveja” (2017).




4 recadinhos

  1. Idianara seu trabalho é top e suas fotos perfeitas, que poema sensacional... Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada Sheila! Para mim é sempre uma honra divulgar o trabalho dos autores e os textos do Marcelo Gaspar são primorosos! Torço para que ele sempre mantenha esta verve de poeta. Sobre a foto, eu tinha esses enfeites que trouxe do nordeste e achei que combinariam bastante com o texto. Fico feliz que tenha apreciado.Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Olá! O poema é lindo e eu amei essa foto, impecável toda combinando com o assunto do texto.
    Excelente conteúdo sempre.
    Beijocas.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vanessa! Muito obrigada! Fico feliz com sua visita e em saber que gostou do poema e da foto. Beijossss! :)

      Excluir

Agradeço seu contato. Responderei assim que possível. Atenciosamente, Idianara Lira.